“Parque Natural” no Bairro Mãe Preta? Divulgação - publicada em 24. 10. 2013 - atualizada 14h55 Depois de autorizar empreendimento imobiliários em área de várzea, Sepladema quer agora construir parque “natural” no Bairro Mãe Preta. A área fará frente ao empreendimento, que interromperá seu acesso ao leito do Cachoeirinha
Opções
a- / 
a+
Serviço

Comentar

Indicar

Imprimir

Achei um erro

Pelo visto, José Luís Timoni, diretor de manejo florestal, mais uma vez foi chamado para apagar incêncio

Área de 82 hectares, 820 mil metros quadrados, situada em região de preservação ambiental do Bairro Mãe Preta, está sendo monitorada há quatro meses por uma equipe da Sepladema – Secretaria de Planejamento, Desenvolvimento e Meio Ambiente da prefeitura de Rio Claro para fins de criação do Parque Natural Municipal do Bairro Mãe Preta.

O projeto foi anunciado na manhã dessa quarta-feira (23), no salão nobre da Câmara pelo diretor de manejo florestal da Sepladema, José Luís Timoni, durante o Fórum Regional Permanente em Defesa do Rio Corumbataí, organizado pela Câmara Municipal por intermédio do vereador Julinho Lopes.

O diretor Timoni apresentou a proposta de criação do parque, que irá resultar na implantação de um corredor ecológico formado pelo Córrego Cachoeirinha, Ribeirão Mãe Preta, Floresta Estadual e Mata São José.

“Estamos fazendo todas as avaliações ambientais e o estudo de manejo para desenvolver a minuta do projeto e encaminhá-lo ao prefeito municipal”, informou Timoni.

O parque do Bairro Mãe Preta, segundo os primeiros levantamentos realizados, irá propiciar ao município uma área preservada e rica em biodiversidade. Várias espécies da fauna já foram cadastradas. É o caso do lobo-guará, do quati, répteis e pássaros como sábias, tucanos e papagaios. A vegetação da área é constituída de cerrado e mata atlântica do interior, menos úmida que a litorânea.

A secretária Olga Salomão comentou que “além da preservação da biodiversidade e da ampliação do tecido verde do município, a proposta do parque também beneficiará o sistema de água do Ribeirão Claro, pois teremos ações de reflorestamento que irão impactar diretamente na qualidade da água e da vida”.

Contradição?

Embora o aparente bom senso tenha voltado ao Sepladema, a secretaria não divulgou onde exatamente seria o tal parque. Se considerarmos a área no mapa do “novo” Plano de Diretor proposto por Nevoeiro, só existe uma região dentro do bairro e que se encontra isolada da área de preservação ambiental.

Por outro lado, recentemente a vice-prefeita e secretária de planejamento autorizou a construção de mais um empreendimento da Rino Empreendimento Imobiliários, desconsiderando a lei pois a área está dentro da APP do Cachoeirinha (Portal dos Pássaros na total ilegalidade).

Tem mais informações sobre esta asunto? Partilhe sua experiência. Seja um Repórter!
Comentar
Indicar
Imprimir
Achei um erro
Indicar


Comentar no Guia
Para comentar essa matéria é preciso ser um leitor cadastrado.