Mulher, sexo e o pudor cultural rio-clarense por Kathleen Rebustini - publicada em 9. 3. 2012 - atualizada 9h32 Algumas mulheres, geralmente em cidades interioranas, sofrem repressão cultural quanto ao sexo. Devido ao excesso de pudor, timidez e a falta de diálogo com o companheiro, acabam enfrentando sérios problemas no relacionamento
Opções
a- / 
a+
Comentar

Indicar

Imprimir

Achei um erro

No Brasil existe uma cultura, principalmente em cidades do interior, onde a mulher exerce um papel já pronto de boa esposa, boa mãe e uma bela mulher perante a sociedade com um comportamento regrado e postura adequada, onde se reprime o sexo e suas experiências mais íntimas. A repressão cultural é tanta que as mulheres sentem vergonha de tocar e serem tocadas, de gemer de prazer, de ser observada, observar e até mesmo de fazer sexo oral.

Algumas mulheres que formaram seus conceitos dentro dessa cultura são infelizes em seus relacionamentos, em sua sexualidade e projetam em seu companheiro o próprio medo e insegurança. Culpa o passado, a família, professores e a religião pela realidade conturbada que vem vivendo. Porém elas não precisam deixar que estas influências determinem a sua vida, podem romper com tais crenças, valores e preconceitos. 

Segundo a psicóloga especializada em sexologia e terapia de casais, a Drª Débora Freschi ,“O primeiro passo que precisa ser dado é assumir o compromisso de sua própria felicidade e prazer. Deve assumir uma vida que seja coerente com o que te faz bem, entender o que é ser feliz e realmente importante para você”.

Segundo a Drª Débora, as mulheres precisam estar bem com elas mesmas para estar bem com o próximo e levar um relacionamento sadio com seu companheiro. Devem procurar se abrir mais com o parceiro e falar de seus desejos e vontades mais íntimos sem medo de uma possível rejeição.

“Alguns homens até pedem para que as mulheres sejam mais ativas na cama. É importante a mulher se comunicar e ensinar o companheiro a lhe dar prazer. Falar o que gosta, o que não gosta e como gosta porque muitos não sabem!”, diz Débora. “As mulheres devem alternar, serem ativas, mas também aprender a receber prazer. A intimidade verbal abre espaço para a intimidade física.”

As lojas “sex shops” espalhadas por todos os cantos do mundo, inclusive em Rio Claro, são ótimas opções para se sair da rotina e complementar o relacionamento. Usar o lúdico e a brincadeira para melhorar a intimidade e diminuir a timidez.

As mulheres não devem jamais se sentir intimidadas por entrar nessas lojas e consumir os produtos, essa atitude mostra que ela sabe que tem direito ao prazer, que é esclarecida e sabe que hoje em dia existem recursos. Deve ser aberta ao companheiro e compartilhar seus desejos e vontades, isso só tende a acrescentar positivamente o relacionamento! Sem medo, combine o que é melhor para os dois!

“Sexo é um momento de encontro profundo entre dois corações, dois corpos e duas almas. É um momento pleno, onde o casal se torna um só. É preciso se entregar ao momento, ao amor e ao prazer que está ali”, diz a doutora.

Débora também dá algumas dicas para os homens que querem deixar suas companheiras mais a vontade e se aproximar mais delas: “A comunicação para a mulher é muito importante. O sexo começa antes da cama, desde a hora que ela acorda, na forma como ela é tratada seja com um bom dia, um beijo, uma palavra carinhosa. Faça com que ela saiba dos seus sentimentos, se sinta amada, bonita e desejada.”

Para conversar pessoalmente com a Drª Débora e tirar suas dúvidas, entre em contato pelo e-mail: contato@deborafreschi.com.br

Veja agora a opinião de 3 homens que vivem na cidade e aceitaram falar sobre o assunto

"Acho sexy essa postura independente da mulher que faz o que quer, quando quer. Sobre o fato de dizer ao parceiro não vejo problemas da conversa, mas também não acho necessário. A utilização desses produtos funcionam melhor na cama." Lourenço Favari, Jornalista.

"Eu acho isso muito normal hoje em dia! Por mais que role algum preconceito, muitas mulheres acabam comprando algumas coisas para apimentar o relacionamento com o parceiro, os famosos Sex-toys. Acho que tudo é válido para manter uma relação sempre quente. Caso não tenha um companheiro, não vejo nada demais ela usar um sex-toy e ser feliz, afinal todos temos direito à felicidade!" Vitor Almeida, Designer Gráfico.

“Acho ótimo as mulheres não esconderem a própria libido. Assumir ser gente e não uma invenção idealizada do imaginário dos homens.” Max Laporta, Designer.

Não esqueça, a busca pela realização pessoal começa dentro de você!

Site Oficial: www.deborafreschi.com.br
Tem mais informações sobre esta asunto? Partilhe sua experiência. Seja um Repórter!
Comentar
Indicar
Imprimir
Achei um erro
Indicar


Comentar no Guia
Para comentar essa matéria é preciso ser um leitor cadastrado.