Recém-nascido morre em casa cheia de lixo por Rafael de Godoy Moraes - publicada em 5. 5. 2011 - atualizada 9h54 Mãe viciada em crack levou seu filho recém-nascido para uma casa abandonada e cheia de lixo onde morava. A criança nasceu na sexta (29) e faleceu na madrugada de terça (3)
Opções
a- / 
a+
Comentar

Indicar

Imprimir

Achei um erro

Condições precárias e a sujeira contribuiram para o falecimento do bebê

Mãe viciada em crack leva bebê recém-nascido para casa abandonada e cheia de lixo, onde a criança morreu na madrugada de terça-feira (3), o fato aconteceu no bairro Boa Vista, em São Carlos. A criança nasceu na sexta-feira (29). Ela e a mãe receberam alta da maternidade da Santa Casa na segunda-feira (2) e foram para a casa.

A casa onde o bebê foi encontrado tem lixo espalhado por todos os lados, muita bagunça e nenhuma estrutura para receber uma criança recém-nascida.

Segundo a reportagem da EPTV, que conseguiu conversar com a mulher, ela assume que é viciada em crack e diz que durante a gravidez não fez nenhum acompanhamento. “Quatro horas eu dei 'mamá' para ele, normal. Ele 'tava' com diarreia. 'Das' seis eu acordei, porque eu falei: ‘tem que acordar pra mamar, né?’ Ele não reagiu. Só que eu senti que ele 'tava' respirando bem pouquinho, só que eu vi que ele 'tava' morrendo”, disse.

Ela ainda afirma que o bebê não morreu de frio. “Ele passou frio? Meu filho passou frio? Passou frio?”, disse mostrando as roupas da criança.

O porteiro Fábio Alexander Castanheiro, que é morador do bairro, conta que os vizinhos acionaram o Conselho Tutelar na noite de segunda-feira (2). “Era por volta das 20h, mas não resolveu o problema porque disseram que não são investigadores”, disse.

A coordenadora do Conselho Tutelar, Rose Helena Aparecida Polese, diz que só soube do nascimento da criança quando recebeu um comunicado da santa casa. O documento informa que a mulher é dependente química e pede acompanhamento, mas, quando o ele chegou, a criança já estava morta. “A santa casa deveria ter comunicado antes da alta, que nós íamos tomar providências.”

A Santa Casa confirma que só enviou o documento na terça, depois que a criança havia morrido, mas diz que o Conselho Tutelar já tinha sido avisado, por telefone, antes de mãe e filho terem alta.

A ligação foi feita às 10h e consta no relatório da coordenadora do serviço social do hospital. Em outro registro, consta que a paciente saiu cinco horas e meia depois, acompanhada de um responsável.

Segundo o Conselho Tutelar, a pessoa que possivelmente recebeu o telefonema da maternidade está fora da cidade. Um levantamento será feito para esclarecer o caso.

O atestado de óbito da criança informa que a causa da morte foi insuficiência respiratária.

Casa abandonada

O lugar onde o bebê morreu causa preocupação nos vizinhos. Eles afirmam que já pediram providências à prefeitura, mas nada foi feito.

A mãe do bebê e o companheiro invadiram a casa há cerca de um ano. Os vizinhos dizem que o imóvel pertence ao banco Santander e estava fechado há nove anos. Eles procuraram a prefeitura para falar dos problemas que acontecem na casa, principalmente depois que a mulher engravidou.

Os vizinhos entregaram um abaixo-assinado à prefeitura, exigindo uma solução. “Não conseguimos sucesso no sentido de retirar as pessoas de lá, até porque é um imóvel particular e a prefeitura não tem poder coercitivo. A responsabilidade é inteira do proprietário que também já foi notificado e está pagando multa por ter abandonado essa casa”, explicou a secretária de de Cidadania e Assistência Social, Rose Mendes.

A assessoria do banco informou que está fazendo um levantamento da situação da casa e só depois vai se manifestar, mas não estipulou uma data para que isso aconteça.

Com informações da EPTV

Tem mais informações sobre esta asunto? Partilhe sua experiência. Seja um Repórter!
Comentar
Indicar
Imprimir
Achei um erro
Indicar


Comentar no Guia
Para comentar essa matéria é preciso ser um leitor cadastrado.
PUBLICIDADE - Anuncie aqui.